Vulnerabilidade ocupacional e social nas grandes metrópoles brasileiras

O texto de Inaiá Maria Moreira de Carvalho e Cláudia Monteiro Fernandes para a Revista Cadernos Metrópole n.43, “Vulnerabilidade ocupacional e social nas grandes metrópoles brasileiras”, constitui importante contribuição a esse debate e destaca que as transformações contemporâneas do capitalismo, a mundialização da economia, a financeirização da riqueza e o avanço das ideias e das políticas neoliberais estão na origem das sucessivas crises econômicas, que acentuam as desigualdades e as carências sociais. O texto analisa a evolução das condições de vulnerabilidade ocupacional e social nas grandes metrópoles brasileiras no início do século XXI, apontando, a partir da análise de dados da PNAD contínua, as tendências em relação ao emprego e à perda de conquistas da cidadania urbana. 

De acordo com as autoras, a redução das funções reguladoras do Estado e de suas responsabilidades sociais aliada ao enfraquecimento da democracia e da cidadania social ampliaram as vulnerabilidades da população, transformando as grandes metrópoles brasileiras no epicentro da crise social no País. O texto discute, ainda, como evoluem as condições de vulnerabilidade ocupacional e social nessas metrópoles, contribuindo para a compreensão crítica da realidade e assinalando o limitado alcance das políticas sociais vigentes.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O ARTIGO

Palavras-chave: vulnerabilidade; trabalho; pobreza; dinâmica socioeconômica; metrópoles brasileiras.
Keywords: vulnerability; labor; poverty; socioeconomic dynamics; Brazilian metropolises.

Resumo
Este artigo aborda a evolução recente da vulnerabilidade ocupacional e social nas grandes metrópoles brasileiras, associando essa evolução às características do processo de urbanização e desenvolvimento do País, e, mais especificamente, às transformações econômicas, sociais e políticas das décadas iniciais deste novo milênio. Com base em dados da PNAD sobre as taxas de desemprego, a inserção ocupacional, a cobertura previdenciária e a remuneração dos trabalhadores, o texto confirma como essa vulnerabilidade se reduziu entre 2004 e 2015 nos grandes centros estudados, mas evidencia, também, como esse fenômeno se interrompeu no período posterior. Assinala como esse período tem sido marcado pelo avanço do desemprego, da precariedade ocupacional e da pobreza, ressaltando, finalmente, como as tendências e as perspectivas para os próximos anos são preocupantes.

Abstract
This article discusses the recent evolution of occupational and social vulnerability in the largest Brazilian metropolises, associating this evolution with the characteristics of the country’s urbanization and development processes, and, more specifically, with the economic, social and political transformations that took place in the early decades of this new millennium. Based on data from the National Household Sample Survey on unemployment rates, occupational insertion, social security coverage and labor income, the text shows that this vulnerability was reduced between 2004 and 2015 in the large centers, and that this phenomenon was interrupted in the subsequent period. The analysis points out that this period has been marked by the advance of unemployment, occupational precariousness and poverty, and highlights that the trends and prospects for the coming years are worrisome.

 

Tags: , , , , , ,