Revista Urbe —Estatuto da Metrópole: a governança interfederativa

No dia 12 janeiro de 2015, entrou em vigor o Estatuto da Metrópole, Lei no 13.089, que estabelece diretrizes gerais para o planejamento, a gestão e a execução das funções públicas de interesse comum em regiões metropolitanas e em aglomerações urbanas, além de instituir normas sobre o Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado e outros instrumentos de governança interfederativa.

Este artigo da Revista URBE analisa essa norma jurídica, em especial os aspectos da governança interfederativa, traçando seu conceito, características, princípios e diretrizes. Para tanto, utilizou-se o método exploratório ou descritivo/causal, com revisão bibliográfica prévia.

Segundo os autores do artigo, entende-se que é de suma importância que governantes se ajustem às novas formas de se governar, sobrepondo o interesse comum ao individual, o que, em se tratando de desenvolvimento regional, se traduz na governança interfederativa. “É claro que não se olvida da necessidade de outras normas jurídicas que cooperem com o Estatuto da Metrópole e o Estatuto da Cidade, porém resta perquirir e incentivar práticas de governanças que estejam preocupadas com a coletividade de determinada região e, mais ainda, do país”, apontam.

O artigo “Estatuto da Metrópole: a governança interfederativa” é um dos destaques da Revista URBE (v.9, n.2, 2017)

urbe aborda temas sobre planejamento urbano e desenvolvimento regional em estudos realizados em cidades brasileiras e norte-americanas

A URBE é uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Gestão Urbana da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR).

 

Tags: , ,

 

Mais Posts em Artigos Científicos