Projeto 2.2. Direito à Cidade e Mobilidade Urbana

Pretende-se elaborar diagnósticos partindo, sobretudo, da construção de indicadores a partir da variável “tempo de deslocamento casa-trabalho”, recentemente incorporada às pesquisas domiciliares do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – PNAD e Censo Demográfico. O objetivo, em um primeiro momento, é explorar esses indicadores a partir do cruzamento com variáveis individuais e domiciliares. Posteriormente, relacionar esses mesmos indicadores com variáveis territoriais a exemplo da divisão entre centro e periferia e a tipologia socioespacial elaborada pelo Observatório das Metrópoles com a finalidade de representar a divisão social do território das metrópoles (RIBEIRO e RIBEIRO, 2014).

Outra dimensão da mobilidade urbana que merece ser investigada são os impactos dos padrões vigentes de deslocamento sobre o meio ambiente, ainda mais na atual conjuntura onde a motorização individual vem aumentando sua participação no total de viagens. Por isso propõem-se, também, uma pesquisa que identifique e mapeie o nível de poluição atmosférica gerada pela queima de combustíveis fósseis. Assim, pretende-se utilizar imagens de satélite que captam CO2, de modo que permita a identificação áreas de maior e menor concentração de emissão, procurando, aos mesmo tempo, cruzar essa informação com atributos socioeconômicos e de configuração urbana, a fim de avaliar o grau de impacto nas pessoas e no meio ambiente. Inicialmente esse item será desenvolvido por pesquisadores da Universidade Nacional de Brasília (UNB) e terá o Distrito Federal como estudo de caso, pretendendo, posteriormente, expandir o estudo para as demais metrópoles brasileiras.

Por fim, dentro dessa proposta de investigação, surge a necessidade de se questionar que tipo de saída estão sendo propostas para os graves problemas enfrentados nos últimos, questionando, principalmente, qual o modelo de mobilidade urbana está sendo implantado nas principais cidades brasileiras. Assim, propõem-se monitorar as diferentes soluções que estão sendo propostas pelos diversos níveis de governo, acompanhando como as ações e projetos no campo da mobilidade urbana estão de acordo com a Lei no12.587, que instituiu as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, o que incluiu o acompanhamento dos projetos anunciados no âmbito do PAC 2 Mobilidade Grandes Cidades.

Objetivo

Explorar a problemática da mobilidade urbana nas metrópoles brasileiras, diagnosticando suas principais transformações no que diz respeito aos motivos das viagens, aos meios disponíveis e às condições de rapidez, conforto e segurança dos deslocamentos. Investigar o impacto do padrão de mobilidade urbana vigente sobre o meio ambiente. Acompanhar o desenho e implantação das políticas de mobilidade urbana nos diferentes níveis de governo.

Metas

(i) Elaboração de banco de dados sobre o tempo de deslocamento casa-trabalho nas regiões metropolitanas;
(ii) Elaboração de indicadores intraurbanos que considerem o tempo de deslocamento casa- trabalho e características sociodemográficas como sexo, cor ou raça, renda, posse de automóvel no domicílio e local de residência

(iii) Desenvolver índice espacial de mobilidade sustentável para regiões metropolitanas.
(iv) Desenvolver metodologia de acompanhamento das ações e projetos no campo da mobilidade urbana.

Coordenadores e responsabilidades

Frederico Rosa Borges de Holanda. Doutor em Arquitetura (Universidade de Londres, 1997). Professor Titular do Departamento de Teoria e História da Arquitetura e do Urbanismo, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de Brasília. Responsável pela coordenação geral desse projeto e das análises sobre configuração urbana e seu impacto na acessibilidade.

Rômulo José da Costa Ribeiro. Geólogo (UnB, 1999), mestre em Arquitetura e Urbanismo (FAU-UnB, 2003), doutor em Arquitetura e Urbanismo (FAU-UnB, 2008). Professor Adjunto da Universidade de Brasília. Responsável pela construção dos indicadores de avaliação de acesso à mobilidade urbana, em conexão com o debate conceitual em tono do bem-estar urbano.

Juciano Martins Rodrigues (Graduação em Ciências Econômicas pela PUC-GO, Mestre em Estudos Populacionais e Pesquisa Social pela Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE/IBGE e Doutorado em Urbanismo pelo Programa de Pós-Graduação em Urbanismo – PROURB/UFRJ. Pesquisador Bolsista de Pós-Doutorado no IPPUR/UFRJ através do Programa de Pós-Doutorado Nota-10 da FAPERJ. Responsável pelas análises comparativas e diagnósticos sobre mobilidade urbana baseados no tempo de deslocamento casa trabalho e pelo acompanhamento das políticas públicas de mobilidade urbana.