Para além da sala de aula — Extensão Universitária e Planejamento Urbano e Regional

Projeto Bambuzeiras, Assentamento Rural Dom Pedro Casaldáliga 2017Projeto Bambuzeiras, Assentamento Rural Dom Pedro Casaldáliga 2017. Crédito: Livro “Para além da sala de aula”/Reprodução

O INCT Observatório das Metrópoles divulga o livro “Para além da sala de aula. Extensão Universitária e Planejamento Urbano e Regional”, produzido pela ANPUR. A publicação apresenta o registro das reflexões que a associação vem fazendo em torno das práticas de extensão universitária em planejamento urbano e regional pelo país, avaliando o seu papel pedagógico, social e político. O livro conta com a colaboração de pesquisadores do Observatório, como Camila D’Ottaviano, João Rovati e Luciana Lago, sendo que esta última assina o “Posfácio Afetivo” no qual aponta que as discussões sobre a extensão realizadas durante o ENANPUR representaram uma possibilidade importante de reconstrução do conhecimento científico, a partir da transposição dos muros da universidade e do uso desse conhecimento “na luta cotidiana pelo bem comum”.

O livro “Para além da sala de aula. Extensão Universitária e Planejamento Urbano e Regional” foi lançado em 10 de novembro pela Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional (ANPUR), e conta com a organização de Camila D’Ottaviano (FAUUSP) e João Rovati (UFRGS), ambos pesquisadores do Observatório das Metrópoles.

A publicação é fruto das discussões ocorridas no XVII ENANPUR (2017) que, pela primeira vez em mais de 30 anos após a realização do primeiro ENANPUR, teve uma Sessão Temática integral e exclusivamente dedicada ao debate da Extensão Universitária, a Sessão Temática 11 – A Extensão Universitária como perspectiva de atuação social e pedagógica para além da sala de aula, coordenada por Caio Santo Amore, João Rovati e Regina Lins. A criação dessa Sessão foi fruto das discussões e encaminhamentos propostos no VIII SEPEPUR.

Também pela primeira vez, e com base em experiências variadas de Extensão Universitária, o XVII ENANPUR promoveu Oficinas de Práticas Urbanas, realizadas no final de semana que antecedeu o Encontro. As oficinas foram desenvolvidas e organizadas por professores, pesquisadores e alunos de graduação e pós-graduação, e apoiadas por diversos grupos de pesquisa e extensão, movimentos sociais e entidades de assistência ou assessoria técnica com atuação na Região Metropolitana de São Paulo.

“Elas tiveram como objetivo central o desenvolvimento de atividades de leitura ambiental e urbana e práticas de planejamento e projeto, em contextos que frequentemente envolvem processos amplamente participativos de reconhecimento de problemas, tomada de decisão e elaboração de propostas associados à paisagem e à produção da cidade. A ideia era proporcionar aos participantes das oficinas uma vivência sensível e ‘pé-no-chão’ da metrópole paulistana”, apontam D’Otaviiano e Rovati no texto de apresentação.


O livro está dividido em três partes.

Na Parte I, estão reunidos artigos que retratam as discussões ocorridas na Sessão Especial do XVII ENANPUR intitulada Planejamento Urbano e Regional no Brasil Contemporâneo, ou, mais especificamente, em sua Mesa III, Pesquisa, Ensino e Extensão em Planejamento Urbano e Regional.

No capítulo Os territórios da Extensão Universitária, é ressaltada a necessidade de avançar na discussão (quase inexistente, infelizmente) a propósito das especificidades da Extensão Universitária no campo do planejamento e dos estudos urbanos e regionais.

No capítulo A Extensão Universitária em tempos de crise, Fabiana Dultra Britto, Pró-reitora de Extensão Universitária da Universidade Federal da Bahia (UFBA), aborda o importante papel da extensão para a afirmação da dimensão pública da universidade brasileira e para o estreitamento das relações entre Universidade Pública e sociedade. Em função de sua experiência como pró-reitora, aponta também as fragilidades e desafios enfrentados pela Extensão Universitária frente ao atual momento político, onde o que se acreditava serem definições consolidadas rapidamente foram se transformando em dúvida e incerteza.

No capítulo Políticas Públicas de Cultura e Extensão Universitária, Maria Arminda do Nascimento Arruda, ex-Pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária da Universidade de São Paulo, reflete sobre as dificuldades de afirmação das atividades de Cultura e Extensão Universitária frente à lógica de produção cientificista, cada vez mais presente em nossas universidades. O artigo aponta para a necessidade de superação do entendimento da Extensão Universitária como mera atividade de prestação de serviços e de difusão de atividades de pesquisa strictu sensu.

Parte II reúne quatro textos que relatam atividades e discussões realizadas durante o XVII ENANPUR e algumas das experiências de extensão da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU/USP).

O capítulo Extensão em prelúdio. Crônica das Oficinas de Práticas Urbanas do XVII ENANPUR, escrito por Karina Leitão e Caio Santo Amore, faz um relato delicado e poético da experiência das Oficinas de Práticas Urbanas. Com a apropriação da musicalidade de Vinícius de Moraes e Baden Powell, e com seu mapa afetivo das oficinas, o artigo retrata o interesse despertado pela atividade no contexto do último ENANPUR e reflete sobre a importância da extensão na formação de nossos estudantes.

O capítulo A Extensão na FAUUSP foi escrito de forma conjunta por três dos coletivos de alunos de graduação atuantes na FAUUSP: Caetés, FAU Social e Grupo de Construção Agroecológica. Já o capítulo A extensão na Pós-Graduação: construção do diálogo entre favelas e a academia, é de autoria do único coletivo de pós-graduação atuante na FAUUSP, o LabLaje. A inclusão desses relatos no livro, restritos à FAUUSP, nos pareceu pertinente, pois, além de parceiros sobremaneira importantes na organização das Oficinas de Práticas Urbanas, a experiência do ENANPUR fez com que esses grupos refletissem sobre suas próprias práticas e atuação dentro e fora Universidade.

O último capítulo do livro, A Extensão Universitária no XVII ENANPUR, apresenta uma leitura crítica dos trabalhos apresentados na Sessão Temática 11 do XVII ENANPUR. De autoria dos coordenadores dessa Sessão, o artigo aborda e resume os diferentes conceitos de extensão veiculados naquela ST, ressaltando a importância dos desafios políticos implicados nesse debate conceitual.

A última parte do livro é um “POSFÁCIO AFETIVO”, escrito por Luciana Lago, protagonista do ciclo de valorização da extensão registrado neste livro. Ela aponta de forma clara e sucinta como as discussões realizadas durante o ENANPUR representaram uma possibilidade importante de reconstrução do conhecimento científico, a partir da transposição dos muros da Universidade e do uso desse conhecimento “na luta cotidiana pelo bem comum”, desafiando nossas certezas consolidadas e fortalecendo os laços entre ensino, pesquisa e extensão.

É importante destacar que todos os textos são autorais e apresentam exclusivamente a opinião de seus autores e não uma posição da ANPUR ou mesmo de sua Diretoria sobre o tema.

Segundo Camila D’Ottaviano e João Rovati, a expectativa é de que o livro seja uma pequena semente de uma intensa e profícua discussão no âmbito da ANPUR, sobre o delineamento e as perspectivas da Extensão Universitária em planejamento e estudos urbanos e regionais e sobre a atuação possível dos pesquisadores e de outros profissionais nesse campo. “Lembrando Paulo Freire, esperamos sobretudo que os conceitos, ideias e experiências debatidos aqui sejam fonte do esperançar. Seguimos, pois, na luta cotidiana por um Brasil mais justo e democrático”, afirmam os organizadores.

Faço o download do livro “Para além da sala de aula. Extensão Universitária e Planejamento Urbano e Regional”

Publicado em Publicações | Última modificação em 30-11-2017 15:39:47
 

Tags: , , ,