Livro “Migrações Sul-Sul”

O Observatório das Migrações em São Paulo lançou o livro “Migrações Sul-Sul”, coletânea que reúne estudos que permitem conhecer as migrações atuais e os processos migratórios Sul-Sul em países da América Latina e, particularmente no Brasil, em suas características e especificidades. A publicação contou, entre os organizadores, com Lúcia Bógus, professora da PUC-SP e pesquisadora do Observatório das Metrópoles.

Apoiado pelo Núcleo de Estudos de População Elza Berquó (NEPO/UNICAMP), o livro “Migrações Sul-Sul”, uma parceria do Observatório das Migrações em São Paulo com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

A publicação contou com a organização dos professores e professoras Rosana Baeninger (UNICAMP), Lúcia Bógus (PUCSP), Julia Bertino (UFABC), Luís Renato Vedovato (UNICAMP), Duval Fernandes (PUCMinas), Marta Rovery (UFG), Cláudia Baltar (UEL), Roberta Peres (UFABC), Tatiana Waldman (Museu da Imigração de São Paulo) e Luís Felipe Aires Magalhães (PUCSP) e com o importante apoio da FAPESP, CNPq, CAPES, Berquó Nepo e UNICAMP.

O livro representa um esforço conjunto de pesquisadores e dos diferentes Observatórios das Migrações do país para o avanço dos estudos na área.

Publicado por Observatório das Migrações em São Paulo em Quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Segundo Rosana Baeninger, do Observatório das Migrações em São Paulo IFCH-NEPO/Unicamp e responsável pela Introdução da coletânea, o cenário das migrações internacionais no século XXI tem sido marcado por movimentos migratórios que incluem percursos, cada vez mais intensos, entre os países do Sul global.

“As retrições impostas pelos países do Norte para a entrada e permanência de migrantes internacionais consistem em importante elemento na reconfiguração das migrações e seus destinos no mundo hoje. As migrações Sul-Sul entre e em direção aos países da América Latina, na última década, demonstram a complexidade e heterogeneidade da imigração internacional. Denotam os desafios teórico-metodológicos para explicações e análises das migrações entre os países da região bem como da imigração haitiana, síria, africana, iraquiana, coreana, de imigrações qualificadas, de imigrações refugiadas, dentre outras modalidades migratórias2 que constroem o mosaico das tendências de deslocamentos de população na contemporaneidade”, aponta no texto.

De fato, o que o livro aponta é que as migrações Sul-Sul se consolidam no bojo de processo mais amplo das migrações transnacionais, da divisão internacional do trabalho, da mobilidade do capital. Refletem e (re)configuram condicionantes que ocorrem fora das fronteiras nacionais, com impactos na conformação da imigração no âmbito de cada país.

MIGRAÇÕES SUL-SUL

A Coletânea está dividida em cinco partes. A primeira parte conta com dezoito capítulos, com autores do Argentina, Chile, México e Brasil. Aspectos globais, regionais e fronteiriços são analisados no contexto das dinâmicas migratórias Sul-Sul. As novas migrações para a América Latina e, em especial para o Brasil, são retratadas, considerando o desafio metodológico, a necessidade do conhecimento empírico e do aprofundamento teórico para temas como a crise internacional do ebola, a desigualdade social, o mercado de trabalho, o retorno migratório, os espaços da migração na fronteira, as migrações qualificadas.

Na segunda parte, os vinte e dois capítulos destacam diferentes especificidades nacionais e locais na dinâmica da migração Sul-Sul no Brasil. A imigração síria, venezuelana, haitiana, congolesa, senegalesa, ganesa, filipina e suas interrelações com temas como gênero, cultura, ativismos, integração, mídia, saúde, espacialização, migração ambiental, imigrantes no rural globalizado são analisados em profundidade, contribuindo para estabelecer os nexos entre aspectos locais/globais e a presença imigrante.

As análises acerca das políticas migratórias, políticas públicas, direito internacional e direitos humanos são apresentadas na terceira parte da Coletânea, com dez capítulos, na qual conceitos como refúgio, refúgio ambiental, consumidor turista são discutidos. A nova Lei de Migração é aqui debatida com seus avanços, vetos e desafios. A política pública local, como o acolhimento e ensino da língua portuguesa, as agendas eleitorais municipais e a política migratória de regularização e proteção jurídica para imigrantes em determinados contextos estão presentes nestes capítulos.

A quarta parte traz um conjunto de vinte e quatro notas de pesquisas para uma agenda Sul-Sul que, com textos curtos, apontam dimensões das modalidades migratórias que precisam ser aprofundadas: gênero, trabalho do cuidado, trabalho doméstico, as novas rotas na migração Sul-Sul, circulação, espaços públicos, segunda geração, territorialidade, multiculturalismo, saúde, habitação, impactos psicossociais, identidade, integração, acolhimento, aspectos históricos, mídia. Tais preocupações constituem campos de estudo da produção científica internacional para o entendimento do fenômeno migratório e as especificidades de cada fluxo na complexidade das explicações frente à um mundo em movimento.

Finalmente, na última parte, são sucintamente apresentadas ações da academia para migrantes e refugiados/refugiadas, indicando o compromisso da universidade em sua interlocução com a sociedade.

A elaboração desta Coletânea reflete, portanto, os esforços analíticos de muitos grupos de pesquisa no Brasil e na América Latina, contribuindo para o avanço do conhecimento acerca dos processos migratórios e para revelar a importância do Sul na arena global das migrações internacionais neste século.

Faça o download, no link a seguir, do livro “Migrações Sul-Sul”.

Acesse também a página do Observatório das Migrações em São Paulo.

 

Tags: , ,