Favelas sem cidade: uma experiência global de superurbanização precária nos limites da condição humana

O pesquisador do Observatório das Metrópoles, Filipe Corrêa, resenha o livro Planeta Favela, escrito pelo urbanista e historiador Mike Davis em 2006, e mostra como a experiência de assentamento humano, altamente precária e densa em termos populacionais, se generaliza em todas as regiões do mundo, especialmente nas grandes cidades do Terceiro Mundo.
Favelas sem cidade: uma experiência global de superurbanização precária nos limites da condição humana¹
Por Filipe Souza Corrêa²
O livro Planeta Favela (Planet of Slums na edição original americana) foi escrito pelo urbanista e historiador Mike Davis em 2006, e teve sua edição brasileira lançada no mesmo ano. Fruto de uma extensa pesquisa bibliográfica o livro pretende oferecer ao leitor um panorama global da situação dos assentamentos humanos precários conhecidos por nós brasileiros pelo termo favela. A proposta é interessante, pois nos permite traçar paralelos entre experiências diferentes de moradia nas grandes cidades que, apesar de receberem diferentes nomes e apresentarem características peculiares a cada contexto nacional, têm as suas origem e manutenção enraizadas em causas bastante parecidas, de acordo com o autor.
O livro se organiza em oito capítulos e um epílogo intitulado Descendo a rua Vietnã, além dos agradecimentos do autor e de um posfácio da Prof.ª Dra. Ermínia Maricato (FAU/USP), incluído especialmente para a edição brasileira, em que faz uma análise da obra ponderando a partir das especificidades do caso brasileiro e adicionando as transformações e possibilidades no campo da política urbana brasileira vislumbradas por ela naquela época. Os capítulos podem ser lidos de maneira independente sem prejuízo do seu entendimento, no entanto, a idéia de uma humanidade excedente no contexto capitalista atual se constrói durante todo o livro. Os títulos dos capítulos são, pela ordem: O climatério urbano, A generalização das favelas, A traição do estado, As ilusões do construa-você-mesmo, Haussmann nos trópicos, Ecologia da favela, “Desajustando” o Terceiro Mundo, e Humanidade excedente?.
O objetivo deste livro de Mike Davis é mostrar como esta experiência de assentamento humano, altamente precária e densa em termos populacionais, se generaliza em todas as regiões do mundo, principalmente nas grandes cidades do Terceiro Mundo onde as taxas de crescimento populacional ainda são elevadas se comparadas com a dos países de primeiro mundo e as taxas de urbanização seguem crescendo vertiginosamente. Esse crescimento e urbanização, segundo o autor, baseado nas projeções da ONU, devem encontrar o seu auge por volta de 2050, e posterior descenso. O primeiro capítulo intitulado de “O Climatério Urbano” chama atenção para este fato. Há que se registrar a intenção por trás do título que é bastante elucidativo dos objetivos do autor, e bastante intrigante num primeiro momento.
Clique aqui e continue a ler a resenha  Favelas sem cidade: uma experiência global de superurbanização precária nos limites da condição humana, do livro Planeta Favela, de Mike Davis, por Filipe Corrêa.
Clique aqui para adquirir o livro pela livraria Saraiva Online.
¹DAVIS, Mike. Planeta Favela. São Paulo: Editora Boitempo, 2006. 270 págs. ISBN: 85-7559-087-1.
²Filipe Souza Corrêa é cientista social (UFRJ), mestrando em Planejamento Urbano e Regional (IPPUR/UFRJ) e pesquisador do Observatório das Metrópoles.
 

Tags: ,