Copa 2014, desenvolvimento regional e políticas públicas

Copa 2014, desenvolvimento regional e políticas públicas

Podemos utilizar grandes eventos mundiais para acionar mecanismos de redução das desigualdades das quais somos testemunhas há décadas? Ou podemos crescer economicamente e nos tornar ainda mais desiguais? Essas são algumas das questões levantadas no livro “Copa do Mundo de 2014: impactos e legado” lançado pela Universidade do ABC dentro da série “Desigualdade regional e as políticas públicas”. A publicação contou com a colaboração de pesquisadores do Observatório das Metrópoles que analisaram as políticas públicas vinculadas ao megaevento da FIFA nas cinco regiões brasileiras. Destaque para o tema do “city marketing” nas cidades nordestinas.

Segundo o prefácio do professor Artur Zimerman, o livro é resultado do 5º encontro do Projeto Desigualdade Regional e as Políticas Públicas, ocorrido em 03 de dezembro de 2012 na Universidade do ABC e que tratou do tema “Copa do Mundo de 2014: impactos e legado”.

“As políticas públicas são uma área emergente nas discussões locais, regionais e nacionais. Cada vez mais um número maior de pessoas se interessa por essa temática, quer seja pelo aumento da representação da sociedade civil na articulação de políticas, quer seja pelas demandas de grupos específicos na sociedade. Tivemos à mesa um especialista sobre megaeventos de cada região do país (exceto a região norte), para que pudéssemos ter a diversidade e a representatividade de grande parte da realidade brasileira. Todos os participantes têm doutorado e são pesquisadores ativos nas instituições às quais estão vinculados, além de possuírem vínculo com o Observatório das Metrópoles, sediada na universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)”, afirmou Zimerman.

De acordo com o coordenador da publicação, o Brasil está num momento no qual é fundamental refletir sobre a sua situação para, com isso, projetar novos horizontes e ter claro o que se quer para o futuro como sociedade brasileira, tanto a nível local, como regional e nacional, em áreas vitais como a discutida na mesa, a copa do mundo, que pode se comprometer ou contemplar com um futuro promissor, deixando ônus ou bônus para as gerações futuras e a atual. “Podemos utilizar grandes eventos mundiais, como a Copa do Mundo, para acionar mecanismos de redução das desigualdades das quais somos testemunhas há décadas. Devemos aproveitar o bom momento econômico por que passamos para debater com nossa sociedade os possíveis rumos a serem tomados nesses anos cruciais. Podemos crescer economicamente e nos tornar ainda mais desiguais. Ou podemos optar pelo crescimento com melhor e mais justa distribuição de renda e, com isso, maior nível de escolaridade, com qualidade e comprometimento na construção de um futuro comum a todos os brasileiros. Não deixemos o espetáculo futebolístico da Copa do Mundo sediada no Brasil durar apenas os poucos dias destinados ao evento, sem que deixe impactos positivos e um legado à maioria dos cidadãos do país”, argumenta.

O Brasil, desde seus primórdios, foi pautado pela divisão muito desigual de recursos. Autores da área de ciências sociais chamavam o país de “Brasis”, exaltando sua múltipla face em relação ao poder aquisitivo, social, político, econômico e cultural das diferentes camadas. A classe média sempre foi menor em proporção que seus conterrâneos em países desenvolvidos. N. da Rev.: Contexto com perda de sentido pelo uso de “conterrâneos”. Talvez o termo mais adequado fosse “contemporâneos”. Atualmente, conhecido como país emergente e em crescimento econômico contínuo nos últimos anos, mesmo com crises existentes em países industrializados e desenvolvidos, o Brasil conseguiu seguir a trajetória do crescimento. Porém, o crescimento deveria permitir a redução da miséria e da pobreza, reduzindo as diferenças enormes entre as camadas da população. Nos últimos anos houve uma redução da desigualdade, porém ainda tímida.

A proposta deste livro e dos outros da série Desigualdade Regional e as Políticas Públicas clama pela necessidade de refletir o país e aproveitar este momento único para dar condições e oportunidades às diferentes camadas, reduzindo o abismo entre os que têm e os que não possuem absolutamente nada.

 

Série Desigualdade Regional e Políticas Públicas

A Universidade do ABC disponibilizou para download o e-book “Copa do Mundo de 2014: impactos e legado”, e mais os outros livros produzidos dentro da série “Desigualdade Regional e Políticas Públicas”. São eles: 1) Educação em pauta; 2) Pesquisa na universidade e o setor produtivo; 3) Fronteiras e Segurança na América do Sul; 4) Ações afirmativas e a educação para pessoas com deficiência.

Faça o download no link: http://www.4shared.com/folder/q7JCfC91/_online.html

SUMÁRIO – COPA DO MUNDO DE 2014: IMPACTOS E LEGADO

SUMÁRIO

PREFÁCIO

Artur Zimerman

 

PARTE I – REGIÃO NORTE

A Metropolização e os efeitos da Copa do Mundo de 2014 no desenvolvimento

de Manaus

Adão Francisco de Oliveira

 

1. INTRODUÇÃO

2. EXPANSÃO URBANA E DESIGUALDADES SOCIOTERRITORIAIS

3. ARRANJOS INSTITUCIONAIS METROPOLITANOS E GESTÃO URBANA

4. A CONDIÇÃO METROPOLITANA DE MANAUS

5. A COPA DO MUNDO DE 2014 E SEUS IMPACTOS NA DINÂMICA URBANA

DA RM DE MANAUS

6. NO CAMINHO DA CONCLUSÃO, UMA BREVE ANÁLISE

 

PARTE II – REGIÃO NORDESTE

A Copa de 2014: Impactos ou Legado para as cidades-sede do Nordeste?

Ana Maria Filgueiras Ramalho, Ronald Fernando Albuquerque

Vasconcelos

1. INTRODUÇÃO

2. O CITY MARKETING E OS MEGAEVENTOS ESPORTIVOS

3. AS CIDADES SEDES DO NORDESTE NA COPA DE 2014

a. A cidade sede de Natal

b. A cidade sede de Fortaleza

c. A cidade sede de Salvador

d. A cidade sede de Recife

4. A COPA NO NORDESTE: LEGADOS OU IMPACTOS?

5. MEDIDAS NECESSÁRIAS VISANDO O ENFRENTAMENTO DOS

PROBLEMAS E A SUPERAÇÃO DAS DESIGUALDADES: A QUESTÃO DO

PLANEJAMENTO E DE UMA NOVA PRÁTICA DE GESTÃO.

6. CONCLUSÃO

 

PARTE III – REGIÃO CENTRO-OESTE

Copa do Mundo de 2014 no Centro-Oeste do Brasil

Rômulo José da Costa Ribeiro, Kamilla Auxiliadora Monteiro Fujita

1 INTRODUÇÃO

2. CARACTERIZAÇÃO GERAL DE BRASÍLIA

3. CARACTERIZAÇÃO GERAL DE CUIABÁ E VÁRZEA GRANDE

4. OS PROJETOS DA MATRIZ DE RESPONSABILIDADES PARA BRASÍLIA

4. OUTROS PROJETOS PARA BRASÍLIA

5. PROJETOS DA MATRIZ DE RESPONSABILIDADES PARA CUIABÁ-

VÁRZEA GRANDE

6. OBRAS DE DESBLOQUEIO

7. CONCLUSÃO

 

PARTE IV – REGIÃO SUDESTE

Copa do Mundo de 2014: Considerações sobre a Região Sudeste

Gerardo Alberto Silva

1. INTRODUÇÃO

2. A COPA DO MUNDO NA REGIÃO SUDESTE

3. BELO HORIZONTE

4. RIO DE JANEIRO

5. SÃO PAULO

6. DESAFIOS E CONFLITOS DA COPA NA REGIÃO SUDESTE

7. CONCLUSÃO

 

PARTE V – REGIÃO SUL

A Copa do Mundo de 2014 em um Porto nem tão Alegre: O Grenal dos Estádios

quem ganha é o Capital

Paulo Roberto Rodrigues Soares

1. INTRODUÇÃO

2. O ATUAL MODELO DE DESENVOLVIMENTO BRASILEIRO E SUAS

REPERCUSSÕES NO ESPAÇO URBANO

3. OS MEGAEVENTOS E AS CIDADES

4. A COPA DAS CONFEDERAÇÕES EM PORTO ALEGRE

5. PORTO ALEGRE: DO FÓRUM SOCIAL MUNDIAL À COPA DE 2014

6. O GRENAL DOS ESTÁDIOS E OS EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS

 

7. CONCLUSÃO

 

Tags: , ,