As metrópoles no atual padrão de expansão do capitalismo

Os Editores Científicos da revista Cadernos Metrópole convidam para a organização do v. 20 nº 43 os pesquisadores das diversas áreas de conhecimento, que abordam a questão urbana e regional, a enviarem textos sobre o tema “As metrópoles no atual padrão de expansão do capitalismo”. Este número será comemorativo dos 20 anos dos Cadernos Metrópole, recolocando questões tratadas desde o final dos anos 1990, período em que o periódico se consolidou como importante veículo de comunicação científica, abrindo espaço para o debate acadêmico-político, plural e interdisciplinar e subsidiando a elaboração de políticas públicas. O prazo para envio de trabalhos é 30 de maio de 2018.

TEMÁTICA

As metrópoles continuaram como espaços relevantes economicamente, apesar da globalização do capital e da revolução das comunicações e dos transportes. Os novos modelos de acumulação enfraqueceram a capacidade de governabilidade das nações em razão da dissociação entre economia, sociedade e território. Os governos metropolitanos constituem o epicentro desta questão, à medida que enfrentam a imperiosa necessidade de governar gigantescas aglomerações urbanas sem a capacidade de governar a economia.

No contexto econômico vigente desde os anos 1970, marcado pela crise de acumulação capitalista global e pelo esgotamento da expansão econômica com base no setor produtivo industrial, os investimentos imobiliários passaram a configurar uma nova frente de expansão do capital financeiro. Tornou-se especialmente atrativo investir nos centros de grandes metrópoles em processo de crescimento, aproveitando condições privilegiadas de investimento lucrativo já não encontradas em outros setores da economia. 

No entanto, esse processo tem sido marcado por grandes descontinuidades. O fortalecimento dos mercados imobiliários especulativos, a desconexão entre a agenda urbana e ambiental e o processo de metropolização desordenado, foram acompanhados pela elaboração de planos diretores ”alterados” ao sabor dos interesses de grupos políticos locais , acentuando as dificuldades de alavancar o debate e a atuação política rumo à novas formas de governança que recuperem a função social da cidade e da metrópole.

Este número comemorativo dos 20 anos dos Cadernos Metrópole, recoloca questões tratadas desde o final dos anos 1990, período em que o periódico se consolidou como importante veículo de comunicação científica, abrindo espaço para o debate acadêmico-político, plural e interdisciplinar e subsidiando a elaboração de políticas públicas.

data-limite para envio dos trabalhos: 30 DE MAIO DE 2018

 

Acesse a chamada completa da Cadernos Metrópole nº 43.

 

CADERNOS METRÓPOLE É A1 NO QUALIS CAPES

A Revista Cadernos Metrópole conquistou, no ano de 2018, a classificação A1 na área de Sociologia da Plataforma Qualis Capes. O anúncio representou mais uma vitória para a Rede Nacional INCT Observatório das Metrópoles e consolida a Cadernos Metrópole como uma das principais revistas científicas do país na investigação sobre o tema urbano e metropolitano. Indexada nas Plataformas Scielo Brasil, Redalyc e Latindex, o periódico vem publicando dossiês que abordam temas como formas de provisão de moradia; águas urbanas; gentrificação; teoria urbana na América Latina; mobilidade urbana; direito à cidade, entre outros.

Os professores Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro e Lúcia Bógus, editores da Revista Cadernos Metrópole, parabenizam a Rede Nacional INCT Observatório das Metrópoles pela conquista da nota A1 na área da Sociologia no Periódico Qualis Capes. Para os editores, a qualificação representa o reconhecimento da importância do periódico e de sua relevância acadêmica para as áreas de Ciências Humanas e Sociais em suas interfaces com o Planejamento Urbano, o Urbanismo e as Políticas Públicas.

Agora a CM tem as seguintes classificações: A1 na área da Sociologia; A2 na área da Arquitetura, Urbanismo e Design; e A2 na área de Planejamento Urbano e Regional/Demografia.

O caráter interdisciplinar da publicação vem contribuindo, desde o final dos anos 1990, para o debate plural das questões emergentes da sociedade contemporânea e sobretudo de áreas urbanas. Os dossiês temáticos de cada número têm respondido às demandas de cientistas sociais, pesquisadores e formuladores de políticas públicas interessados em divulgar suas ideias em um espaço aberto às discussões acadêmicas e às análises críticas.

DOSSIÊS TEMÁTICOS

O INCT Observatório das Metrópoles disponibiliza os dossiês temáticos da Revista Cadernos Metrópole. São 12 números especiais que marcam os últimos cinco anos de trajetória da revista, que vem ampliando a reflexão sobre a questão urbana e metropolitana e suas correlações com as políticas públicas do Brasil e de outros países do mundo.

Dentre os temas dos dossiês, destaque para governança metropolitana; gentrificação; teoria urbana na América Latina; gestão das águas urbanas; formas de provisão de moradia; saúde na cidade; mobilidade urbana; e sustentabilidade e justiça socioambiental nas

Cadernos Metrópole nº 38 — Território e trabalho em tempos de crise

Cadernos Metrópole nº 37 — Planejamento Urbano e Regional: percursos e desafios

Cadernos Metrópole nº 36 — A Saúde na Cidade

Cadernos Metrópole nº 35 – Formas de Provisão de Moradia

Cadernos Metrópole º 34 | Os desafios do desenvolvimento nacional

Cadernos Metrópole nº 33 | Dossiê Águas urbanas

Cadernos Metrópole nº 32 – Gentrificação na cidade contemporânea

Cadernos Metrópole 31 – Teoria Urbana na América Latina

Cadernos Metrópole nº 30 – Mobilidade Urbana nas Metrópoles Contemporâneas

Cadernos Metrópole nº 29 – Sustentabilidade e Justiça socioambiental nas Metrópoles

Cadernos Metrópole nº 28 – Direito à Cidade na Metrópole

Cadernos Metrópole nº 27 – Representação Política e Governança Metropolitana


 

Cadernos Metrópole nº 26 – Subjetividade e Cultura na metrópole contemporânea

 

 

Tags: , , ,