Belo Horizonte: os impactos da Copa do Mundo de 2014

Belo Horizonte: os impactos da Copa do Mundo de 2014

O Núcleo Belo Horizonte do Observatório das Metrópoles convida para o lançamento do livro “Belo Horizonte: os impactos da Copa do Mundo 2014”, no dia 9 de maio. A publicação analisa o legado da Copa na capital mineira a partir de temas como justiça social, segurança pública, esporte, mobilidade urbana, etre outros temas.

O livro “Belo Horizonte: os impactos da Copa do Mundo 2014” faz parte dos resultados do projeto “Metropolização e Megaeventos: os impactos da Copa do Mundo 2014 e das Olimpíadas 2016 nas metrópoles brasileiras” realizado pela Rede Nacional Observatório das Metrópoles, com apoio da FINEP.

Leia: Livro “Megaeventos: impactos da Copa e Olimpíadas no Brasil”

O legado da Copa 2014 em Belo Horizonte

O livro “Belo Horizonte: os impactos da Copa do Mundo 2014 está organizado em seis artigos abordando diversas temáticas. O primeiro artigo, (“Copa do Mundo – 2014, Belo Horizonte: impactos socioeconômicos e neoliberalismo urbano”), escrito por João Bosco M. Tonucci Filho, Marcella Cristiane A. Scotti e Eduardo Marchetti P. l. da Motta, apresenta um quadro analítico e crítico, do ponto de vista da justiça social, dos principais impactos socioeconômicos decorrentes da implementação dos projetos relacionados à realização do megaevento esportivo da Copa do Mundo na capital mineira.

O segundo (“A segurança pública nos bastidores da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014: breve análise, tendo como foco Belo Horizonte e sua Região Metropolitana”), de autoria de Robson Sávio R. Souza, Marco Antônio C. Marinho e Eric F. Shynnier, trata da temática da segurança pública, com foco nas questões relacionadas ao uso do espaço público, discutindo o conjunto de regras adotadas por exigência da FIFA com seus reflexos sobre o direito à mobilidade e uso da cidade.

Em seguida, o terceiro artigo (“Intervenções de mobilidade urbana associadas à Copa de 2014 e especificidades do caso de Belo Horizonte”), de Daniel M. de Freitas e Hélio Rodrigues de Oliveira Junior, traz um quadro das principais intervenções de mobilidade urbana na capital mineira, e discute o impacto destas intervenções na configuração urbana da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O quarto artigo, (A Cidade-Negócio e o Programa Minha Casa Minha vida no Contexto da Copa 2014”), escrito por Denise M. Nascimento, aborda a questão habitacional, concluindo que as intervenções vinculadas à Copa 2014 estão associadas a diversos processos de violação do direito à moradia.

Por fim, o quinto e o sexto capítulos abordam a questão da governança urbana. O quinto (“Os Restos do Solene: Considerações sobre as salvaguardas institucionais fiadoras das competições da FIFA no Brasil e seus desdobramentos para nossa experiência de democracia”), de autoria de Radamés Andrade Vieira, está focado no quadro jurídico-constitucional, e o sexto (O papel dos movimentos sociais frente às políticas públicas de governo para realização da COPA de 2014, em Belo Horizonte), de autoria de Lúcia Helena C. Nunes, Naiane l. dos Santos e Rejane de O. Nazário está centrado na questão da participação social e nos conflitos urbanos.

Em síntese, no que se refere a esta temática, pode-se argumentar que um Estado que promove con- cessões, alterações legislativas e medidas administrativas de caráter excepcional, e se fecha para a participação da sociedade, corre o risco de abrir precedentes que ameaçam a própria democracia.

Faça o download do livro “Belo Horizonte: impactos da Copa do Mundo 2014”.

 

 

Tags: , , ,