A Classe Média Brasileira

DO NOT DELETE

A Classe Média Brasileira: posição social e identidade de classe

Author: André Ricardo Salata
Pages: 0
Category: Livros
Publisher: Letra Capital
Subject: sociologia urbana; estratificação social
Country: Brasil
Publication Date: 2016
Finished? No
Signed? No
First Edition? No
Description
Nos últimos anos, tornou-se comum no Brasil ler a respeito da chamada “nova classe média brasileira”, a já famosa “classe C”. Ao longo desse período verificou-se a disputa entre a perspectiva sociológica, mais estrutural, e a perspectiva econômica, mais focada nos rendimentos. E essa disputa gerou um grande debate sobre a própria definição de Classe Média no Brasil. Esse é o ponto de partida do e-book “A Classe Média Brasileira: posição social e identidade de classe”, do sociólogo André Salata. O trabalho traz uma contribuição importante ao tentar responder essas questões a partir da análise sobre como os próprios indivíduos percebem sua posição socioeconômica, se identificando ou não como Classe Média. O e-book “A Classe Média Brasileira: posição social e identidade de classe” (Editora Letra Capital) é mais um resultado da Rede de Pesquisa INCT Observatório das Metrópoles. O trabalho é resultado da tese do pesquisador André Ricardo Salata, e oferece uma importante contribuição para o debate contemporâneo sobre a “novíssima” classe média brasileira. A publicação contou com recursos do CNPq e da FAPERJ. Segundo Celi Scalon (UFRJ), que assina a Apresentação do livro, a pesquisa traz análises de consumo, renda, classe social, identidades, representações, valores e percepções que compõem o complexo quadro desse grupo de renda, heterogêneo e ainda pouco conhecido. “André realizou sua proposta, e realizou com excelência”. Já para a professora Helena Bomeny (UERJ), a pesquisa de André Salata é um exemplar do que seria a melhor tradição das Ciências Sociais. “O trabalho de André surpreendente pelo cuidado no mapeamento de um repertório que cobre parte substantiva da produção sociológica contemporânea. Encontrei ali as matrizes clássicas (…) estão lá os protagonistas de sempre – Marx e Weber novamente balizando a discussão. Referenciais permanentes a partir dos quais os autores contemporâneos avançam, sofisticam ou mantêm-se fiéis”.